Os amores que não tinha eram os favoritos. Rabiscava os nomes na parede do quarto e, antes de dormir, repetia todos como mantra:

-Agora eu sonho, amanhã eu amo de novo.

Anúncios